04 janeiro 2016

Os Clichês do Novo Ano

Por Larisse Telles | Colaboradora de #Cultura e Comportamento do blog


Foto: Reprodução

Como diria o nobre Paulinho Moska, “tudo novo de novo, vamos nos jogar onde já caímos”...
Ou não, hein?!
Porque quem sabe das coisas é a nossa Q-U-E-R-I-D-A Simone, mesmo deixando algumas testas franzidas, afirma TODO ANO que “(...) e ano novo também, que seja feliz quem, souber o que é o bem.”
A cada novo ano mais promessas são feitas, mais pedidos são realizados, mas por que não olhar as coisas sob a perspectiva de que depende apenas de você para fazer acontecer?
Se jogar onde já caiu talvez não te deixe enxergar que é necessário mudar e, acomodação não combina com a renovação do novo ano, já que a esperança renasce com a necessidade de buscar ser feliz e fazer o bem para os outros, mas, acima de qualquer coisa, a si mesmo, para que haja evolução pessoal.
Ainda que seja piegas, ao invés de pedir que o ano te traga um novo amor , seja para esquecer aquele que não deu certo como você “planejou”, seja apenas para ter um amor, por que não se amar em primeiro lugar? Quem sabe a consequência não seja o despertar de uma beleza natural de ser, capaz de abrir os olhos para um amor/interesse de outrem?!
Por mais clichê que pareça, ao desejar saúde e dinheiro, porque não cuidar de si próprio, de sua saúde e ter capacidade e condições de trabalhar e construir sua própria riqueza? Lembre-se, “o que vem fácil, vai fácil”!
Ouve-se falar tanto na cor da roupa para o novo ano, com o objetivo de “chamar” o que se deseja, mas não importa a cor da roupa, raça, religião, costumes, promessas ou simpatias... Importa você querer viver um novo ano! Importa você querer viver a maior plenitude da vida!
Novas atitudes irão gerar novos resultados! Ok. Isso é clichê! Mas, isso é fato!
Não espere a cor da sua roupa ser a responsável por definir sua vida, seus planos, seu futuro. Faça! Realize!

Viva um Novo Ano!

Beijinhos renovados,
Lari
Comentários
0 Comentários