03 maio 2015

Cine Pipoca: Vingadores: a era de Ultron

Por Larisse Telles | Colaboradora da categoria #Cultura do blog


Imagem: Reprodução

Aqui a equipe de super heróis está reunida para derrotar Ultron, um vilão (para alguns essa não seria uma definição muito apropriada, mas, vamos lá!) tecnológico, diferente de tudo o que haviam enfrentado antes, e que busca extinguir a raça humana. Vale dizer que Ultron surge da tentativa do Tony Stark/Homem de Ferro de criar um sentinela permanente para a Terra, utilizando-se de inteligência artificial, a fim de cuidar da paz mundial. Mas, como sempre existe um “porém” dramático, em decorrência de um erro (trata-se de perspectiva bastante subjetiva, totality!) inimaginável, surge um oponente que afirma ter as melhores intenções (típico dos anti-heróis, hein?!) mas, no fundo (não tão fuuundo assim) quer mesmo destruir tudo o que ele acredita que atravanca o progresso, inclusive, os Vingadores. A abordagem do filme traz uma carga psicológica bastante forte, pois, uma das ferramentas de Ultron é desestabilizar a equipe através de jogos emocionais, memórias, projeção de futuro, culpas e dúvidas, até mesmo existenciais. Dois interessantes personagens inseridos na sequência cinematográfica são os irmãos Mercúrio e Feiticeira Escarlate.

Para quem é fã dos quadrinhos e vem acompanhando os filmes há aquela expectativa natural quanto as cenas de ação. Impossível não notar muitos olhos arregalados já nas primeiras cenas. O problema é que a ação se sobrepõe a outros elementos importantes do filme, que poderiam tê-lo tornado singular, e em dado momento dá até para esquecer qual é a motivação de tanta porradaria (ah! Salvar o mundo... mas, de quem mesmo?!) e o link necessário para utilização de tantos personagens, novos ou antigos, fica meio comprometido.

O Filme não é incomum, nem genial, mas tem romance e ação lado a lado. E não poderia ser diferente, em se tratando de Super Heróis!

Mas, como já registrado, nem tudo são flores...

Fora a mensagem sobre a necessidade da união dessa equipe para salvar toda humanidade, independente dos ideais e princípios de cada um, faltam mais diálogos coesos e inteligentes, elementos que marcaram as outras sequências da franquia.

Aquele sarcasmo peculiar do Homem de Ferro (#fã) ficou um pouco esquecido... Já o vilão, Ultron, surpreende em alguns momentos de humor (sombriooo) e eles fazem a diferença, viu?

Não há como deixar de mencionar ainda a quantidade de cenas com lutas “inesperadas”. Algumas fazem (re)pensar até quem seria o super herói mais forte (ok ok ok, mesmo sendo irrelevante, fica a interrogação ao longo do filme) e atingem o objetivo maior que é despertar a curiosidade do telespectador.

Vale a pena ir ao cinema conferir? SIMMM!! Afinal de contas, estamos falando de ‘OS VINGADORES’ e eles têm o seu lugar quando o assunto é diversão!

A verdade é que esse filme será capaz de dividir opiniões. Haverá àqueles que amarão, mas, também encontraremos os que odiarão.

Então: ASSISTA! Depois compartilha sua opinião, ok?!

Beijinhos de Super Poder
Lari | contato: e-mail: larisse_ramos@hotmail.com

*Agradecimento especial à amiga Maíra Vida pela “discussão enfática” do seu ponto de vista.
Comentários
0 Comentários